Comprei esse mangá sem saber absolutamente nada sobre a história. Olhei, achei a capa bonita e comprei (coisa que, por sinal, não é de meu costume). Logo mostrei minha nova aquisição aos amigos, alguns leram e me fizeram os piores comentários sobre a história. Foi então que pensei ter feito uma besteira. Mas até que estava enganada.


A primeira comparação feita foi com Malhação. Aquela coisa toda de adolescentes querendo acabar uns com os outros, como num bom filminho americano. No entanto, eu até gostei da história, não é uma das minhas preferidas, mas não achei tão péssima assim não.

En Nonomiya é uma menina de uns 15 anos que acaba de ser expulsa de uma escola por causa de seu péssimo comportamento. É então que ela muda-se para a casa do tio e vai para um colégio feminino cujo intuito é formar damas. Claro que ela não se adapta tão fácil assim, e começa a ser perseguida por integrantes do Comitê de Moral, que nada mais é (a princípio, lembre-se que estamos no primeiro volume ainda xD) do que um grupo de meninas que pretende nivelar os comportamentos das estudantes. Todas têm que usar os mesmo uniformes, não tingir os cabelos, etc.

No primeiro dia de aula Nonomiya vai passear numa floresta próxima e encontra um rapaz do colégio masculino que fica ao lado. Chihiro Narushima é um cara bastante tarado que logo começa a dar em cima da menina. Ela não estava exatamente acostumada com isso, uma vez que cresceu com Yohei, amigo de infância que ficou para trás na outra escola. Nonomiya nunca teve amigas, só amigos e por isso sente certas dificuldades de relacionamento, mas que logo desaparecem.


Alguma dúvida que o Yohei gosta da Nonomiya? Nenhuma! Só que o Chihiro tarado fica dando em cima dela e ela começa a gostar dele… Porém, tem algo obscuro entre ele e o Comitê de Moral, o que será? Bem, pelo menos são apenas mais dois volumes para o final da história xD.

Os desenhos de Mayumi Yokoyama são muito bons, dá gosto de ler. A história não é aquela coisa que te faz pensar pro resto da dia, você a lê e depois passa, uma novelinha qualquer. Vale lembrar que tem que gostar de shoujo pra ler, caso contrário realmente pode parecer meio Malhação demais. Mas sabe, se não fosse um mangá japonês realmente seria ridícula a história… Porque o mais forte da história, na minha opinião, é essa coisa de tentar fazer com que todos sejam iguais, coisa bastante comum no Japão. Dentro da sociedade ninguém pode se destacar muito, por exemplo. Isso fica bem claro enquanto cada uma luta por aquilo que quer, seja continuar jogando basquete ou usando as meias que quiser. Parece besteira, mas é só pensar em quantas vezes nos pegamos agindo de alguma maneira só para sermos aceitos em um determinado grupo.

Outro fator importante da história é falar abertamente sobre sexo. Sem tabus, sem fingir que não existe e, acima de tudo, sem dizer que é apenas por amor. Apesar de eu ser defensora do amor acima de tudo, sei que nem todos pensam assim e é importante abordar o assunto dessa forma, afinal é uma história voltada para jovens.

No mais, adorei a última página do mangá, na qual encontram-se a instruções de como ler. Foi uma das mais bonitinhas que vi até agora. xD


Mylle Silva

Sou escritora, roteirista e artesã. Apaixonada pela cultura japonesa, vivo com ela uma relação de amor e ódio desde 1996. Tento sobreviver entre palavras (www.oficinadeescrita.com.br) e encomendas (www.nhom.com.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *